Review: Show do Pearl Jam + Creative Sandbox

Quinta-feira (ontem) foi o dia de todos os atendimentos de agência online terem um infarto anal. Rolou um eventinho maroto do Google que reuniu toda a alta patota egocentrica das agências online. O Creative Sandbox.
Tipo, tinha uma galera fazendo grafite lá na hora, e eu não lembro o nome dos caras. Rolou altos comes e bebes. Lugar do cocktail era simplesmente lindo.

Sai do local da recepção e fui pro estádio do Morumbi (os caras devem ter alugado todas as vans da região). Ele fecharam onde é a loja do São Paulo e ali começou a diversão.
Continue lendo

I Believe I Can Fly [Franceses não tem toba]

Quem tem cu tem medo. Platão.

Sabe aquele monte de gente boba que fica se balançando em correntes por ai? Então… Sébastien Montaz-Rosset montou um documentário com uma galera que tem mais bolas que todo mundo junto dessa intewebs, mostrando os caras escalando a montanha e saltando de para-quedas/andando nessas linhas que virou esporte mas não lembro o nome disso ai.

Na verdade, já vi uma penca de gente fazendo isso de ficar se equilibrando e tals aqui em SP. Mas a diferença entre eles e esses caras aqui é que os french deixaram o cu em casa (ou nasceram sem mesmo).

Ele já tinha feito algo parecido com os mesmos caras fazendo essa macacada na The Mercuriales, as torres gêmeas de Paris.

blog: sebmontaz.com

Agora volta lá pro seu WoW e vai entrar numa Raid pra se achar um pouco mais macho.

Mass Effect 3: Trailer Multiplayer

E não é que foi confirmado??
Desde a E3 já se falava sobre a possibilidade de ME3 vir com MP e isso dividiu bem os fãs, e eu particularmente sou contra.

Jogo que nasceu single player difícilmente se da bem com MP.
Os últimos adeptos foram Assassins Creed, Dead Space 2, Bioshock 2 (pqp que merda).

Será possível jogar a campanha coop em 4 pessoas, apenas algumas sidequests ou lutar para conquistar locais na galaxia que estão sob ataque. Peralá? Tipo, entro no save de alguem da minha lista e posso ir lá fazer uma disputa de território como rolava no GTA? Ficou meio estranho isso ai, cada vez mais um MMO.

Outra novidade é que no MP vc vai poder usar qualquer raça (das que eles deixarem disponível) pra jogar. Como o carinha mesmo disse, diversas raças que vc viu durante os 2 primeiros games e não pode jogar, agora vai poder controla-los.

Para quem tem xbox, o sistema de jogo com o kinect ta parecendo bem bom. Vamos acompanhar mais vídeos de gameplay pra saber qq rola.

[HQ] Lançamento de MetaMaus

A Pantheon Books comemora o 25º aniversário de Maus lançando o MetaMaus, material que mostra como a grande obra de Art Spiegelman foi produzida.

No MetaMaus, Art S. volta ao trabalho que lhe rendeu um  Pulitzer, que conta de uma forma totalmente diferente a história de um sobrevivente do holocausto: seu pai.
Ele aborda algumas questões que Maus gerou – tais como: por que o Holocausto? Por que camundongos? Por que feito em HQ? – E ainda disponibiliza informações sobre o processo criativo.

MetaMaus inclui um DVD bônus com a cópia digitalizada de “The Complete Maus” (não compre a versão brasileira, é uma bosta, vai na gringa mesmo que é delude) junto com um grande arquivo de áudio entrevistas com o seu pai que foi sobrevivente, documentos históricos e todo conteúdo pessoal de seus rascunhos e anotações.

MetaMaus saiu em 4 outubro e está disponível na Amazon.

BLZ, até aqui eu meio que traduzi/resumi o que achei escrito no Comics Cavern.

Comprei Maus no começo desse ano. Sempre tinha visto nas livrarias, mas só quando fui zoado por não ter lido nada em 28 anos tomei vergonha na cara e comprei logo a versão gringa, que é MUUUUUUITO melhor que a brasileira. Não tem comparação na qualidade do papel, capa dura, a tinta e tudo mais.

Fiquei muito surpreso quando comecei a ler e idiotamente surpreso quando acabei. Sério. Realmente essa obra foi merecedora de um Pulitzer.
O modo como Art retrata os judeus me fez lembrar o FODÁSTICO dialogo do Christoph Waltz como Col. Hans Landa no começo do Inglorious Bastard, sua visão sobre os judeus, que eram considerados ratos, mas não na forma perjorativa (aham, senta lá).
Se o Tarantino não usou isso de referência, não falo nada.

Mas voltando, a história é bem profunda e muito mais densa e psicológica do que a que somos bombardeados sempre por Hollywood (já ouviram falar do livro “A Indústria do Holocausto?” Deveriam!).
Não tenho muito o que falar mais sobre essa história além de que vai te prender do começo ao fim e vai te deixar pensativo a valer. Em certas partes vai ser um soco na boca de quebrar os dentes e fazer você parar de reclamar tanto por ser um filho único mimado criado pela avó em apartamento.

Esse MetaMaus já entrou na minha wishlist.

E vale a pena um Like na fanpage dele no facebook: facebook.com/ArtSpiegelman